5.12.05

De Ouvido

Esta é uma nova sala neste Museu de Tudo.
A música tem sempre estado comigo desde antes do tempo. Nada mais justo haver espaço para ela nestas estantes. Aqui começa uma série de discos dos quais gosto muitíssimo.

Teatro Instrumental - Antúlio Madureira (1993)

Inusitado. Inusitado e brilhante. Assim poderíamos observar/ouvir o teatro instrumental desenvolvido por Antúlio Madureira, um belíssimo compêndio de música brasileira erudita e popular, ou erudita/popular. Popular por sua busca pelas raízes profundas de uma cultura brasileira que remonta a tradição indígena, a música nordestina, a música brasileira. O erudito fica por conta do irretocável desempenho diante dos instrumentos e da composição harmônica de todo o disco. Inusitado. Essa é mesmo a palavra. O uso do marimbau, o berimbau de lata, a cabala, o serrote, o garrafone e tantos outros, que nessa obra funcionam como uma verdadeira máquina sentimental de música. Sua música é o teatro. Serve como palco para uma ordem de sons tão fantasiosa quanto o universo do teatro experimental, de onde vem boa parte do aprendizado de Antúlio Madureira.
Um disco como poucos.
Um disco que não é meramente regional ou meramente universal. Esse é um disco que é nada mais nada menos que outra coisa. É música, é teatro, é virtuose, é uma obra-prima.

Destaque para as faixas:
Cavaleiro do Sol, Viagem ao Infinito, Valsa para Bilu, Ária das Bachianas nº 5 e todas as outras.


Encontre mais sobre Antúlio Madureira em

www.antuliomadureira.com.br
_____________________________________
Este post é dedicado ao amigo Mc Mut

16 comentários:

Anônimo disse...

Theo, adorei o post. Olha, amanhã tem uma resenha sobre A Casa Miúda no www.condominiobrasil.com
Aparece lá, viu? Beijo, Adelaide

Mut disse...

Hehehehe... esse é o theo que eu conheço... tava esperando mesmo tu postar cara... dá uma tristeza passar aqui todo dia e não ver nada novo... :D.

Quanto ao disco , vou procurar por aqui... e essa idéia dos instrumentos malucos também está presente no trabalho do grupo mineiro Uakti. Conheces? Em todo caso , falo mais deles no MSN.

Um abraço!

Celso disse...

muito bom o texto, theo. Confesso que este não é o tipo de música que faz a minha cabeça, mas teu texto me fez querer conhecer o artista.

Saudações do Cárcere

Glória disse...

Theo, adorei revê-lo. Mesmo falando de coisas corriqueiras vc mostra estilo, parabéns!!! Bela homenagem ao menino prodígio. Qto ao Sarau, ficou marcado p/ o dia 16/12 no Casarão da UFRN. Contamos com vc!!!!! Beijossss...

Theo G. Alves disse...

Adade, minha querida, fico honradíssimo e vou lá ver o texto...
beijo e obrigado!

Mut, meu velho, conheço apenas um disco do UAKTI e gosto muito dele, no resto sou pura ignorância...
abração!

Celso, temos outros gostos parecidos: sei porque teu cárcere sempre me revela muitas supresas boas... o disco do Antúlio vale a pena: palavra!
grande abraço!!

Theo G. Alves disse...

Glória, ótimo te ver também! Vc sempre gentilíssima... e certamente irei ao sarau pra nossa "despedida" da academia...

o Mut merece. é uma figuraça. ele que me convenceu a publicar umas coisinhas a mais aqui no Museu. o menino é bom!

Beijo grande e até breve!

Claudinha disse...

Vou conferir Theo, eu adoro instrumentos musicais inusitados, diferentes. Adoro inventores de música, adoro pessoas que fazem som até quando trombam na porta. São pessoas especiais. Meu pai é assim, um percussionista que tira som até com gotas de chuva... Beijos!

Theo G. Alves disse...

Claudinha, pode conferir que vai valer a pena... é um belíssimo disco...
beijo!

Zenildo disse...

VALEU PELO COMENTÁRIO LÁ NO BLOG HTTP://ALLROCKBANDSSHOULDBREAKUPNOW.BLOGSPOT.COM

TAMO COMEÇANDO AGORA...

ABRAÇO...

Theo G. Alves disse...

valeu, zenildo!

Ronaldo disse...

Olá meu caro Théo! há tempo não passo por qui nesse espaço de auto nível cultural, Sexta dia 16 tem sarau lá no casarão vai rolar muito vinho e algo mais he he he he he he he he he!!!!!!!!!!!!!!!

marcos pardim disse...

Pô, meu caro, que belo blog esse seu, hein? Visual e conteúdo. Do que li e vi, até agora, gostei sobretudo do Gregor Samsa. Passarei, certamente, mais vezes por aqui. 1 abraço. Marcos Pardim . http://mslppardim.blog.uol.com.br

marcos pardim disse...

Pô, Theo, que belo blog esse seu, hein? Estética e conteúdo. Que cuidado e carinho!!! Do que li e vi, até agora, gostei sobretudo de Gregor Samsa. Passarei, certamente, outras vezes por aqui. 1 abraço, Marcos Pardim

Theo G. Alves disse...

Ronaldo, meu velho, finalmente você resolveu dar notícias... ando uns dias sem beber por causa de umas complicaçõezinhas de saúde... coisa boba: não vou beber, mas aparecerei por lá pra dizer um "oi" pro pessoal... grande abraço


Marcos, meu caro, fico contente que você tenha gostado... seja bem vindo sempre p estas bandas... um abraço!

Moacy disse...

Caro Theo: Parabéns pela nova "sala" do Museu. Antúlio Madureira é um grande músico, um dos melhores. Valeu... Um grande abraço. Em tempo: durante dois/três meses estarei em Natal, a partir da próxima semana. Será que nos veremos? Bem que eu poderia agendar uma viagem rápida a Currais Novos. Que tal? Outro abraço.

Theo G. Alves disse...

Moacy, meu amigo, esta sala é uma tentativa de diminuir os vazios entre uma peça e outra neste museu tantas vezes empoeirado...

Quanto a você passar por aqui, tenha certeza de que seria maravilhoso... vamos agendar esta visita para o mais rápido possível...

e neste mês de dezembro devo ir umas duas vezes a natal, uma a trabalho a outra pra cerimonia do concurso zila mamede... vamos ver se nos acertamos pra nos encontrarmos aí também...

Um grande abraço!