16.9.05

Peça: 13. Um Retrato de D. Aldonça Lourenço, a Quem D. Alonso Quijano Chamou de Dulcinéia Em Sua Loucura

à beleza
– para dulcinéia del toboso

o que há de mais
belo em teu desenho
dulcinéia
são os olhos do quixote –
a insensatez
do amor
e da esperança

e
quando revejo o quixote
senhora dama dulcinéia del toboso
o que nele mais
me encanta
é o amor indestrutível
de tua presença.
___________________________________
* poema de Theo G. Alves, em Doce Azedo Amaro
* imagem de Dom Quixote, por Salvador Dali

____________________________________________

Mais imagens e informações no Museu de Tudo no Multiply: http://theoalves.multiply.com

39 comentários:

Glória disse...

Serei a 1ª a comentar nesse teu novo espaço, que ficou lindo: claro, limpo, como os modernos museus, dando uma sensação gostosa de paz e tranqüilidade. Parabéns! Qto ao poema, sou suspeita p/ opinar, adoro Dom Quixote, gostaria mto de vestir sua pele e me deixar levar pelas estradas à procura de meus moinhos de vento, mas estou fadada ao enraizamento na mediocridade de um cotidiano banal. Dalí é sempre Dalí, incomensurável! Beijo melancólico...

Theo G. Alves disse...

glória, é uma honra que você seja a primeira a comentar por aqui...

quanto ao enraizamento: só estamos condenados às penas que escolhemos... temos de ser sempre inconformados!

beijo!!

fernando calso disse...

Oi, Theo,
Espero que você fique tão satisfeito com a mudança de "casa", quanto eu achei bonito o seu novo template.
Sou um fã "invertebrado" (ah, Ibrahim de saudosa lembrança!) do Blogspot, mas que é muito melhor, não há dúvidas.
Abração
fernando cals

fernando cals disse...

Oi,Théo
Cals, ora pois!
Abração
fernando cals

Theo G. Alves disse...

Fernando,

obrigado pela visita a casa nova... e bem sabemos que você entende de casa como ninguém mais...

acho mesmo que vou gostar daqui!

abraço e bom fim de semana!

Celso disse...

Bem-vindo ao blogspot, Théo. Brinda-nos com um poema digno de Cervantes. Texto cheio de inspiração e arte. Pra nào dizer que adoro Dali.
Já corrigi teu link no Cárcere.
Apareça lá, tem disco postado.

Saudações

mariza disse...

mudou e nem avisou, né, mocinho? mas eu descubro tudo... hihihi.
tá bonito por aqui.
e o poema, então, mais bonito ainda.
beijo, vou mudar seu link em meu blog.

Theo G. Alves disse...

Celso,

muitoobrigado por sua acolhedora recepção...
vou conferir o disco lá no cárcere!

abraço!!

Theo G. Alves disse...

Mariza, minha querida,

ainda estou no processo de chegada por aqui e por isso não tinha avisado ainda... mas bem sabe que aqui você tem sempre lugar de honra...

beijo!!!

Moacy disse...

Meu caro: Parabéns pelo belo poema e pela nova "casa". Ah, sim, estou enviando o meu endereço para o seu emeio. Um grande abraço.

Theo G. Alves disse...

Pois é, Moacy: o outro (weblogger) me fez perder um bocado da esportiva... acho que aqui os problemas serão menores e a publicação mais frequente...

o endereço chegando, já na segunda-feira te envio a escritura...

abraço!!

camilo rosa disse...

Parabéns Theo pela nova casa e pelo poema. É muito alvissareiro inaugurar a casa homenageando Quixote.
E o weblogger é mesmo de assustar pela inconstância e outros travbamentos mais...
abraços:

camilo

Theo G. Alves disse...

Camilo, muito obrigado...

aproveito para te convidar a mudar de casa também... ontem (sexta) o weblogger passou todo o dia fora do ar (incluindo nossos blogues)...

pense nisso!

abraço!!

Anônimo disse...

Cada vez melhor, Theo! Esto esperando teu livro chegar da Pasárgada, viu? Depois te conto. Um beijo. Adelaide
www.meublog.net/adelaideamorim

Theo G. Alves disse...

Adade, obrigado!

O Fabio me disse que já te enviou o livro (na sexta-feira, se bem me lembro): ele é um bocado eficiente com essas coisas...

Vou querer saber o que achaste!

Beijo!

Anônimo disse...

Théo, seu novos espaço tá beleza, Dom Quixote... Vc sabe. Abraço. Gianote Araujo

Márcia disse...

belo esse olhar duplo, esse jogo de espelhos.
ainda bem que vc se mudou praqui, theo. já estava cansada de não conseguir acessar.

beijo-beijo.

Mutatis Mutante disse...

Saúdo muito tua mudança para esta nova casa... e pra variar , o conjunto da obra ficou excepcional...

Um abraço!

Theo G. Alves disse...

Gian, Marcia, Mc Mut, muito obrigado pela força e um grande abraço!!

Theo

Anônimo disse...

Sempre te guiando. Beijos. Anjo

Scarlett disse...

depois de ler isso com os olhos cheios de lagrimas, é evitavel qualquer comentario: "é o amor indestrutível de tua presença"

boczon disse...

Sucesso na nova casa!

Anônimo disse...

amei o poema e a foto que acompanha o mesmo, tem uma certa mágia :) o novo blog ficou bem clean e super bonito. parabéns, querido. beijo, ReOl.

Ostra Nervosa disse...

Tá lindo!
bjs

Theo G. Alves disse...

Anonimo, Scarlett, Boczon, Becca e Ostra: muito obrigado pela força.
Abraço a todos!!

pedro pan disse...

.casa.nova.outra morada. em que versos.sempre saltam.aos nossos olhares.com letras desenha quixote + dulcinéia.abs.

Theo G. Alves disse...

Pedro Pan, sempre bom tê-lo aqui!!
abraço!

Claudinha disse...

Felicidades na casa nova... Tenho ganas de Dulcinéia, de ser mulher amada em loucuras medievais... Quem dera soubesse expressar-me desta forma... Beijos! Olha eu também estou no Multiply, mas abandonei há algum tempo, não dá para administrar tudo... Até mais!

Cleo disse...

o que há de mais
belo em teu desenho
dulcinéia
são os olhos do quixote –


Ante estes versos, Theo, emudeço e te reverencio. Soberbos e sublimes.

Um beijo.

carla disse...

que lindo! um grande abraço.

Milton disse...

Nordestinos, todos a meu blog!

Theo G. Alves disse...

Claudinha,
muito obrigado e bom vê-la por aqui!
Até breve!

Theo G. Alves disse...

Cleo,
muita gentileza sua, que eu agradeço veementemente...beijo!

Theo G. Alves disse...

Carla, muito obrigado!
Belíssimo o teu blogue também!
Abraço!!

Theo G. Alves disse...

Milton,
já estou a caminho!

carla disse...

oi...o que dizer numa tarde de sexta, nao é? um bom final de semana!
carla

Theo G. Alves disse...

Carla,
que o fim de semana seja bom para todos nós!

Marco Santos disse...

Você é um artesão das palavras, Theo. Que os seus silêncios não sejam prolongados.

Theo G. Alves disse...

Marco, bondade sua.
Oxalá consiga escrever algo brevemente: tenho sentido falta...
abraço!