1.12.11

pequenitudes

- você não tem de fazer o que os outros mandam. por isso, não se deixe abater! levante-se, lute. brigue pelo que você quer!
- você tem razão. é o que vou fazer!
- senta aqui. espera: vamos recapitular...

www.pequenitudes.blogspot.com

3 comentários:

Arthur Dantas disse...

Eis o tempo necessário para a vida dar um passo de cada vez: a eternidade.

Aurora Joaquina disse...

Oi meu caro Theo, qto tempo sem adentrar esse museu, e a tua peça 65 fala justamente sobre essa tal correria que nos afasta tanto de amigos e de coisas que tanto apreciamos e que no entanto sempre ficam de lado ou lá no canto mais escuro da gaveta e da alma. Bom saber que não deixaste de postar, já eu quase que abandonei meu Receptaculum, nem mesmo o visito sempre como mera espectadora. Ando já há algum tempo/eternidade em compasso de espera, nem sei de que, como sempre, aliás.
Abraço grande!

CeciLia disse...

Sentei aqui. Não quero sair correndo resolver coisas de que sei ser capaz. Quero ler-te um pouco mais, aproveitar do cheiro de coisas importantes que sinto no Museu. Abraço, um 2012 cheio de boas letras.