12.10.09

Peça: 58: A Anatomia do Espelho

fenece
a musculatura de minhas
sensações

enverga
o esqueleto de minhas
esperanças

o corpo
servil de que sou feito
degenera
diante do espelho

a máscara
tênue da face imemorial
esmaece
frente à casa miúda

xxxxxxxhomem
xxxxxxxpersona
xxxxxxxmemória

xxxxxxxquem,
pergunta
xxxxxxxa voz

xxxxxxxquem?

15 comentários:

Moacy Cirne disse...

Meu caro:

um Balaio procê.
Hoje.

Abração.

Theo G. Alves disse...

moacy,
já estive no balaio hoje cedinho - como sempre - e me senti feliz demais diante da honra concedida.

um grande abraço!

O Marquês de Pindorama disse...

Théo...

triste esse mundo que só gira pra um lado...

O Marquês de Pindorama disse...

triste texto...

saber que o mundo gira mesmo, e de verdade.

Theo G. Alves disse...

otávio,
triste às vezes. mas girar ainda é melhor que estar parado. e como diz minha avó: pior seria se pior fosse.

a vida é boa.

grande abraço!!

Ronaldo disse...

Theo foi um grande prazer em reve-lo na inauguração do casarão, um abraço! aqui tem muita poesia de qualidade.

Theo G. Alves disse...

ronaldo, meu velho,
foi bom demais estar aí pra rever tanta gente querida e com tantos trabalhos ótimos.

fiquei impressionado com voce e naldinho na performance de joão redondo. já sabia que era boa, mas não sabia que eu ia rir tanto.

joão antonio e naldinho pintando, adriano também, wescley e iara escrevendo e capitaneando o casarão, luma com as ótimas performances, érika cantando lindamente... foi um evento mesmo fantástico!

um grande abraço!
que Che nos proteja!

Marco disse...

Seus poemas são muito profundos. Eu leio e fico pensando...
Muito justa a homenagem do mestre Moacy.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Theo G. Alves disse...

marco,
uma homenagem do mestre moacy é dessas coisas que fazem a gente muito feliz.

é sempre ótimo vê-lo por aqui.

abraço!

Claudinha ੴ disse...

Theo, este é um poema que me fez refletir...
Até quando nossa alma deve acompanhar o desgastar da matéria?
Eu quero ficar com minhas esperanças, até o fim...
Um beijo!

Theo G. Alves disse...

claudinha,
ter esperanças é uma arte que se aprende duramente (ou que não se desaprende duramente... ainda não sei ao certo). eu continuo tentando minhas lições. nem sempre com sucesso. nem sempre em fracassos.

beijo!!

Iara na Janela disse...

quem a voz? um peixe? um silêncio?

eita que lindeza de poema!

xeros pra todas!

p.s.: bom demais vcs terem vindo pro nosso casarão... linda a festa com tantos amigos bons! xeros de novo!

Theo G. Alves disse...

iara,
muito obrigado!
foi ótimo encontrar vocês num momento tão especial.

beijo pra todos vocês!

p.s.: fernanda anda encantada com um poster do nicholas cage... acho q ele é muito feio e velho pra ela, então é melhor iago vir mais vezes aqui pra botar ordem na casa :)

Clara Bianca disse...

"enverga o esqueleto de minhas esperanças" .. viajei nisso, vc brinca com as palavras como um faquir. Ler vc é voltar as memorias gramaticais.
Abraços!

Clara

Theo G. Alves disse...

clara,
as palavras fazem jogos conosco. o poeta é quem aceita o jogo. eu tento. consigo poucas vezes transformá-las numa inutilidade necessária. é o ofício.

abraço!